Métodos de isolamento térmico que cumprem objectivos sustentáveis

Termodinâmica, arquitetura e muita visão

 

Quando se fala em otimizar o consumo de energia dos edifícios e sua contribuição para a sustentabilidade, o isolamento térmico é um imperativo. Poucas necessidades foram tão valorizadas pelos arquitectos e engenheiros de hoje, tanto pelas suas implicações económicas como ambientais.

medida que esta consciência cresceu na sociedade, as empresas perceberam a enorme importância de avaliar como as suas actividades irão afectar as gerações futuras.

Por isso, como empresa consciente da importância de uma construção que respeite o presente e o futuro, temos estudado fielmente diferentes técnicas, materiais e processos de engenharia que garantem o máximo isolamento térmico, com a maior durabilidade e o mínimo impacto social e ambiental na produção. Os três seguintes são exemplos claros disso.

Como podemos obter um bom isolamento térmico?
“O frio não existe, é o universo que nos rouba o calor.” Uma acusação muito séria para o cosmos, não é? Bem, é uma verdade absoluta. De acordo com a segunda lei da termodinâmica, dois materiais com temperaturas diferentes procuram se igualar através do princípio da entropia. Ou seja, o corpo mais quente passa a energia térmica pelo menos calorosamente. Estamos com frio num dia de Janeiro chuvoso e ventoso? Não, é o ar a roubar o nosso próprio calor corporal.

Há séculos que nos preocupamos em construir estruturas que nos defendessem do que está lá fora. Também isso mostraria o nosso próprio estilo, uma vista agradável para os transeuntes. Agora é possível acrescentar à equação formas de conservar a temperatura ambiente do interior, aumentando assim seu isolamento térmico e proteção contra o ladrão de calor que é o próprio universo.

1. Fachada ventilada

A fachada ventilada é um sistema construtivo que se consolidou com grande aceitação entre arquitetos e construtores, especialmente por sua alta qualidade, possibilidades estéticas e por suas inegáveis vantagens de isolamento térmico e acústico.

Em resumo, este tipo de fachada cria um efeito de chaminé entre o isolamento e a envolvente do edifício. Este sistema não entende as estações: nos meses frios mantém a temperatura e o ar condicionado interno, enquanto nos meses de verão isola o interior dos raios solares, mantendo o interior muito mais fresco.

Uma dica que lhe deixamos é que as soluções de fachada ventilada devem ser consideradas como alternativas ao Código Técnico da Edificação, uma vez que não estão incluídas nos seus documentos básicos. Portanto, o seu cumprimento deve ser justificado estabelecendo a equivalência de desempenho com o exigido por estes documentos.

A fachada ventilada está na primeira posição em termos de isolamento térmico, mas não se deve esquecer a sua importância no aspecto acústico e estético.

1.1 Métodos para obter uma solução de ancoragem ventilada da fachada

Existem diferentes soluções para unir as duas partes que compõem uma fachada ventilada:
– Com ancoragem de fixação mecânica.
– Com fixação de ancoragem em guias.
– Com ancoragem numa estrutura de alumínio.
– Com ancoragem de fixação química.

Dentro destes últimos, existem aqueles que são considerados os mais inovadores, os sistemas completos de fixação adesiva.

Os sistemas de fixação adesiva recomendados são compostos por
Adesivo elástico: Idealmente, o adesivo elástico deve ser de alto módulo à base de MS com alta aderência inicial e capacidade de amortecimento de vibrações e não deve conter isocianatos.
Fita dupla-face: recomendamos que seja feita de espuma de PE e de alta resistência.
Primer C-29: primer para os diferentes materiais existentes no mercado: porosos e não porosos.

Por que este método é muito mais eficiente do que o resto das soluções? Protegem melhor o calor interno ou também têm benefícios que não devem ser descartados? Vamos ver isso com um exemplo mais descritivo.

1.2 Quais são as vantagens da fixação adesiva em fachadas ventiladas?

Temos visto que os métodos de fixação mecânica têm vantagens e desvantagens como todos os outros. Do ponto de vista estético, podemos salientar que as fixações mecânicas tendem a deixar visível uma tal fixação, um efeito que esteticamente distorce a imagem final desenhada pelo especificador.

Se realizarmos uma fixação química, a estética do edifício é mantida na sua totalidade, não são visíveis rebites ou parafusos porque não são necessários.

Por outro lado, com fixações mecânicas pode haver ruído devido a possíveis folgas na fixação causadas pelo vento. Os coeficientes de expansão de ambos os materiais são diferentes, o que também causa possíveis movimentos.

Os adesivos químicos estão preparados para absorver movimentos e vibrações, graças à sua elasticidade reduzem a manutenção destas fachadas, aumentando a protecção acústica, transformando-se em menos poluição e economias significativas para o bolso.

2. Fachadas de betão pré-fabricadas

Esta solução de betão pré-fabricado é uma das mais industrializadas, pelo que cumpre fielmente os requisitos que este sector coloca entre os seus materiais. O potencial do betão em qualquer dos seus aspectos de desempenho, tais como resistência mecânica, ao fogo, inércia térmica ou protecção acústica, será reflectido no resultado final e a longo prazo.

As fachadas de betão pré-fabricadas são altamente recomendadas para edifícios de entrega rápida, pois a sua rapidez de execução, fiabilidade e manutenção fazem deles um dos modelos mais eficientes que podemos encontrar no mercado actual. Vamos ver as suas vantagens de uma forma mais exaustiva.

Uma solução rápida com grandes possibilidades são as fachadas de betão pré-fabricadas

2.1 Porquê utilizar fachadas de betão pré-fabricadas?

Como o betão é um material altamente resistente, permite que a durabilidade desta fachada seja superior à estabelecida pelos regulamentos, atingindo 50 ou mesmo 100 anos. Além disso, o seu ciclo não termina aqui, pois tem muitas possibilidades de reutilização após este período de tempo.

A sua eficiência é dupla: por um lado, é energética porque os painéis pré-fabricados de betão proporcionam uma inércia térmica utilizável, reduzindo as necessidades de ar condicionado. Também é eficiente no campo ambiental, pois graças à sua carbonatação reabsorve uma parte significativa do CO2 emitido durante todo o seu processo.

Também não podemos esquecer a sua grande capacidade estética: variedade de acabamentos, diversas formas geométricas, modulações e cores, entre outras vantagens.

2.2 A importância da vedação em fachadas de betão pré-fabricadas.

O tratamento das juntas em uma fachada de concreto pré-fabricada é também um dos pontos mais importantes quando falamos de economia de energia e sustentabilidade. Se não tratarmos bem as juntas, através delas se produzirá a deterioração do edifício por serem áreas de passagem de água, ar, pó, produtos químicos, etc.

Os sistemas de vedação de longa duração da Quilosa poupam energia através das juntas estanques da envolvente do edifício, reduzindo a perda de ar quente ou frio através das ligações permanentes entre as diferentes partes do edifício, evitando também as tensões entre os materiais e a passagem de agentes de deterioração.

3. Telhados Frios

Um dos principais efeitos da radiação solar é o aquecimento das superfícies expostas a ela. Para o elemento de construção em questão, neste caso o telhado, os efeitos podem ser positivos e podem ser utilizados eficazmente, por exemplo, em células solares e fotovoltaicas.

Mas a tecnologia também deve lidar cada vez mais com os efeitos negativos da radiação solar, especialmente os resultantes da exposição à radiação infravermelha, que provoca o aquecimento das estruturas dos edifícios.

O efeito negativo da radiação e o consequente sobreaquecimento do telhado é que os seus revestimentos envelhecem mais cedo. A durabilidade de praticamente todos os tipos de coberturas em grandes edifícios é determinada pela sua resistência à radiação solar, e a sua vida útil é de cerca de 10 a 15 anos, no máximo.

A indústria de construção mais inovadora utiliza materiais “Cool Roof” para este fim, e estes são partes de programas de certificação de construção sustentável como o LEED e o BREEAM. Esta tecnologia estuda, melhora e aplica materiais com alto Índice de Reflexão Solar (SRI).

Como nota curiosa, o cálculo do índice SRI é feito combinando os valores de Reflectância Solar (razão da radiação solar reflectida pela superfície do telhado) e de Emissão Térmica (capacidade de devolver o calor absorvido à atmosfera: desta vez queremos que o universo roube o calor). Quanto maior for o valor do índice SRI, melhor será a capacidade de refrigeração de um telhado.

Os telhados frios mantêm os efeitos positivos da radiação solar, tais como a captação de energia, enquanto mantêm as estruturas dos edifícios a uma temperatura óptima.

3.1 Vantagens dos telhados frios sem perda de eficiência

Entre as soluções mais eficazes está a utilização de membranas impermeáveis altamente reflectoras. Quais são os benefícios deste produto?

Para começar, a sua protecção contra temperaturas extremas é inegável. Reduz a temperatura da cobertura em até 70%, melhorando o equilíbrio térmico entre o interior e o exterior do edifício. Quanto mais baixa a temperatura, maior a vida útil e mais baixos os custos de manutenção.
Por falar em durabilidade, os revestimentos de tais telhados também sofrem menos. Mas também melhora o desempenho dos painéis solares e fotovoltaicos, uma vez que não absorvem a radiação solar para si próprios. Isto dá-lhe o programa de certificação de edifícios sustentáveis que discutimos anteriormente, e aumenta o seu valor de mercado.

Além disso, um fator importante para reduzir a temperatura do telhado é que ele torna uma estrutura mais eficiente. Ao reduzir o investimento em sistemas de ar condicionado, tanto na instalação como no seu custo operacional, reduz as emissões de CO2 e as despesas de construção dos edifícios. Desta forma, as economias não são apenas para o bolso, mas também para o planeta, reduzindo o efeito de “ilha de calor” nas cidades.

Conclusão:

É evidente que o isolamento térmico traz consigo uma série de vantagens e benefícios que não se limitam à temperatura do interior do edifício. Os materiais e técnicas actuais que encontramos nas fachadas e telhados são os melhores aliados para alcançar a sustentabilidade total, tendo ao mesmo tempo um importante potencial estético.

Qualquer um dos três métodos responde a uma demanda profissional que procura uma certa qualidade. Em Quilosa preocupamo-nos em oferecer soluções que satisfaçam as exigências do presente, mas também do futuro.

Fuentes:
https://www.impernorasbitra.com/blog/aislamiento-termico
https://www.construction21.org/espana/articles/es/las-grandes-ventajas-del-aislamiento-termico.html
https://cool-r.es/impermeable-revestimiento-cubiertas-coolr/

 

Notícias relacionadas